Horizonte, educação e comunicação
 
 
ONLINE

Cai o nível de oxigênio nos oceanos

Baixo nível de gás coloca em risco a vida marinha

foto: Wikimedia Commons
Segundo Dunbar, a baixa de oxigênio coloca em risco toda a cadeia alimentar (Imagem: Wikimedia Commons)

Nível de oxigênio nos oceanos caiu mais de 2%, entre 1960 e 2010, segundo estudo publicado pela revista científica Nature, na última semana. De acordo com os cientistas responsáveis, o números, que a primeira vista é pequeno, poderá mudar ecossistemas inteiros.

“É significativo. A queda de oxigênio pode ter efeitos em cascata em todo o oceano. Animais marinhos maiores, como tubarões, exigem mais oxigênio, especialmente para realizar atividades de alta energia como a alimentação. A queda dos níveis de oxigênio cria ‘zonas de exclusão’ para algumas criaturas do mar, deixando-as com menos áreas para comer e reproduzir”, comenta Rob Dunbar, professor de Ciências da Terra na Universidade de Stanford. “Será mais difícil para os organismos ganharem a vida no oceano”, avalia o professor, que não fez parte do estudo.

O estudo aponta ainda que, economias costeiras também sofrem com a perda de oxigênio, já que isso resulta na perda de vida que para eles é fonte de renda.

A queda de 2% é uma média geral, porém diversas áreas tiveram mais de 4% de queda, como o Oceano Pacífico Norte e o Oceano Ártico, que apresentaram as maiores baixas de nível.

De acordo com os pesquisadores, o aquecimento global teve forte impacto nestas mudanças, porém é difícil determinar exatamente os efeitos disso nos oceanos, já que é uma das áreas que mais sofre com as atividades humanas, como a pesca predatória e a poluição.

Para ler o estudo completo, acesse o site da revista.

Destaques Horizonte:
Aquecimento global já afeta cardumes nos oceanos
Aquecimento global tem grande impacto no Ártico
Pesquisadores e Greenpeace divulgam primeiras fotos de corais da Amazônia

Publicado em 23/02/2017


 
 
 
 
 
Loading


Anuncie Edição do Mês
Anuncie
 
 
 
 
     
 
© 2017 Horizonte, educação e comunicação. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo