Horizonte, educação e comunicação
 
 
ONLINE

Supermercado passa a vender alimentos danificados com desconto

Na luta pelo fim do desperdício, rede de varejo mundial agora comercializa alimentos “feios”

foto: divulgação
A oferta de produtos imperfeitos nas gôndolas será sazonal, variando de acordo com a demanda e os produtores (Imagem: divulgação)

Frutas e legumes “com defeito” são o pesadelo dos agricultores, pois os vendedores finais se recusavam, até agora, a receber qualquer colheita imperfeita devido aos padrões tradicionais de qualidade alimentar, que não aceita frutas e legumes machucados ou deformados. Com essa atitude nada aceitável, mas que acontece diariamente sob os nossos olhos, segundo a NRDC, organização sem fins lucrativos que estuda o tema, até 30% da produção agrícola mundial vai parar na lata do lixo porque os alimentos são “feios”. Essa prática colabora com o aumento dos gases de efeito estufa (GEE), que impactam diretamente no aquecimento global.

Porém, os dias de desperdício podem estar chegando ao fim. Isso porque a rede mundial de supermercados Walmart anunciou que produtos imperfeitos passarão a ser comercializados por eles, com desconto, nas unidades dos Estados Unidos. Maçãs e batatas, as escolhidas para começar a ação, serão comercializadas em sacos que identificam a “imperfeição”.

De acordo com Shawn Baldwin, vice-presidente sênior de abastecimento global de alimentos, legumes e flores do Walmart, a empresa pretende identificar opções para levar produtos não tão perfeitos para o mercado e, assim, reduzir o desperdício de alimentos. A equipe também está ajudando os produtores a encontrar usos alternativos para seus frutos feios, mas nutritivos, como fazer suco de maçã ou vender maçãs cortadas para kits de almoço.

Destaques Horizonte:
Rede de supermercados começa a vender a granel 
Consumo responsável em rede 
Terra não tem mais recursos naturais para nos oferecer 

Publicado em 10/08/2016


 
 
 
 
 
Loading


Anuncie Edição do Mês
Anuncie
 
 
 
 
     
 
© 2017 Horizonte, educação e comunicação. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo