Horizonte, educação e comunicação
 
 
ONLINE

Apenas 18% das cidades brasileiras realizam coleta seletiva

Estudo mostra que 85% da população brasileira não têm acesso à programas de reciclagem

foto: Victor Moryiama
Apenas 51% das coletas seletivas são realizadas pela própria prefeitura (Imagem: Victor Moryiama)

Quando o assunto é o desenvolvimento sustentável nas cidades, a coleta seletiva sempre é lembrada. Sua importância e seus benefícios vê à tona e mostra o quão indispensável é esta prática. Muitos se incomodam em ver lixo orgânico e reciclável juntos, incomodam-se ao ver os lixões próximos aos grandes centros e muitas vezes colocamos a culpa na população, que não destina corretamente seus resíduos. Porém uma pesquisa recente, realizada pelo

foto:

CEMPRE (Compromisso Empresarial para Reciclagem) mostra que, apesar da evolução crescente do engajamento dos municípios desde a promulgação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, em 2010, a velocidade de adesão à coleta seletiva nas cidades brasileiras ainda é menor que o desejável.

Segundo os dados, desde a aprovação da lei ocorreu um aumento de 138% no número de cidades que desenvolvem programas de coleta seletiva. Apesar do aumento expressivo, o índice representa apenas 1.055 munícipios, dos mais de 5 mil que o Brasil possui.

81% desstes municípios encontram-se nas regiões Sudeste e Sul do País. Outros 10% estão no nordeste do país, 8% estão na região Centro-Oeste e apenas 1% no norte brasileiro. Com isso,  estima-se que apenas 31 milhões (o equivalente a 15% da nossa população) de brasileiros têm acesso aos programas municipais de coleta seletiva.

foto:

“A pesquisa Ciclosoft desde 1994 reúne informações para apresentar os avanços da coleta seletiva em cidades brasileiras. Desde a primeira edição, notamos um crescimento positivo nos programas e iniciativas desenvolvidas no Brasil que foi intensificado com a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Porém, ainda existe um longo espaço para evoluir, que permita aos brasileiros mais acesso ao serviço de coleta seletiva,” comenta Vitor Bicca, presidente do CEMPRE.

O estuda aponta ainda que 54% dos municípios realizam a coleta seletiva por meio de cooperativa e pontos de entrega voluntária. Em relação aos materiais reciclados, o Ciclosoft 2016 mostra que papel e papelão são os materiais mais coletados, seguidos por plástico e vidro.

Acesse a pesquisa completa

Destaques Horizonte para você:
A cara de quem recicla: ensaio fotográfico mostra quem são estes trabalhadores 
Garimpeiros urbanos
Para onde vai o nosso lixo? 

Publicado em 17/06/2016


 
 
 
 
 
Loading


Anuncie Edição do Mês
Anuncie
 
 
 
 
     
 
© 2017 Horizonte, educação e comunicação. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo