Horizonte, educação e comunicação
 
 
ONLINE

São Paulo é a cidade com maior potencial de desenvolvimento

Segundo estudos, a capital paulista é a cidade brasileira que mais tem condições para tornar-se desenvolvida

foto: Rafael Neddermeyer
Mesmo desagradando parte dos paulistanos, as ciclovias foram destaque na pesquisa (Imagem: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas)

Pesquisa, que avalia 700 municípios brasileiros, considera São Paulo a cidade com o maior potencial de desenvolvimento em 2016. A pesquisa está em sua segunda edição e  teve seu resultado divulgano na última terça-feira, 7 de junho, pelas empresas Urban Systems e Sator, no evento Connected Smart Cities 2016.

Este estudo contempla 11 setores das cidades e mais de 70 indicadores. Dentre eles foram avaliados: mobilidade e acessibilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, saúde, educação, empreendedorismo, governança, economia, segurança e energia.

Em 2015, o Rio de Janeiro havia ficado em primeiro lugar, mas mobilidade e acessibilidade deixaram São Paulo, este ano, na primeira posição. A implantação dos 150 quilômetros de ciclovias, no ano passado, e as 460 novas faixas de ônibus ajudaram a capital paulista a destacar-se.

Segundo Paula Faria, diretora executiva da Sator, São Paulo destaca-se pelo fato da mobilidade urbana ser uma questão apartidária e estar em uma sequência prodigiosa há diversas gestões. "Já tinha ficado em primeiro [em mobilidade] no ano passado e vai ficar durante muito tempo, porque são investimentos sistemáticos de muitos anos. Tem metrô, trem, corredores de ônibus e as ciclovias melhoraram ainda mais".

Além das questões envolvendo mobilidade e acessibilidade, São Paulo destacou-se também em tecnologia e inovação. O estudo aponta que a capital tem boa oferta de infraestrutura de comunicação, grande quantidade de patentes registradas e um alto valor de financiamento para bolsas de pesquisa.

As dez mais
1º São Paulo (SP);
2º Rio de Janeiro (RJ);
3º Curitiba (PR);
4º Brasília (DF);
5º Belo Horizonte (MG);
6º Vitória (ES);
7º Florianópolis (SC);
8º Barueri (SP);
9º Recife (PE);
10º Campinas (SP).

O Rio de Janeiro foi considerado a melhor cidade do Brasil em economia e em empreendedorismo. Na cidade concentra-se mais de 20 incubadoras de empresas e tem cinco polos tecnológicos. A capital fluminense contempla 50% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado.

Curitiba foi destaque em governança e urbanismo, Belo Horizonte em questões ambientais e Vitória destacou-se pela saúde e educação.

Para chegar ao grupo de 700 cidades, dentre as mais de 5 mil que o país possui, os pesquisadores levaram em conta a disponibilidade de informações, a região e a inclusão de municípios de todos os portes. Thomaz Assumpção, presidente da Urban Systems, responsável pela pesquisa, conta que a obtenção de informações foi uma das maiores dificuldades do estudo, que é baseada apenas em dados oficiais, e não na opinião da população. "Às vezes, a percepção da população não é a mesma, mas a gente não lida com percepção, a gente lida com numerologia", disse Assumpção.

São Paulo ganhou pontos extras também neste campo, pois os novos indicadores de transparência, implementados este ano na capital, auxiliaram e foram fundamentais à pesquisa.

Destaques Horizonte, para você
Evolução sobre rodas 
São José dos Campos terá mais 97 mil árvores até o final do ano 
É hora de pedalar 

Publicado em 10/06/2016


 
 
 
 
 
Loading


Anuncie Edição do Mês
Anuncie
 
 
 
 
     
 
© 2017 Horizonte, educação e comunicação. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo