Horizonte, educação e comunicação
 
 
ONLINE

Descubra como foi o primeiro dia do 9º Congresso GIFE

Com um olhar crítico sobre a sociedade, primeiro dia de congresso debates os problemas da população brasileira atual

foto: DIVULGAÇÃO/GIFE
O 9º Congresso GIFE acontece em São Paulo, de 30 de março a 1 de abril de 2016, na Fecomercio - Rua Dr. Plínio Barreto, 285, Bela Vista (Imagem: Divulgação/GIFE)

O congresso GIFE é o principal encontro sobre investimento social no Brasil, realizado desde 2000, de dois em dois anos. Sua nona edição acontece de 30 de março a 1º de abril de 2016, na cidade de São Paulo. O primeiro dia no 9º Congresso GIFE teve a presença de grandes nomes do empreendedorismo brasileiro, como Darren Walker, presidente da Fundação Ford, e representantes do Instituto Unibanco e FGV Direito, alé, de 10 atividades gratuitas na programação aberta.  

O sentido público do investimento social privado
O primeiro dia do 9º Congresso GIFE teve como abertura a programação aberta, onde dez atividades gratuitas abordavam assuntos relacionados a educação e desigualdade. As mesas de debate tiveram como objetivo abordar o sentido público do investimento social privado, tema do Congresso 2016.

A segunda etapa da programação aberta foi composta por debates e e a exibição especial do filme: O começo da Vida.

Plenária de abertura
Composta por Maria Alice Setubal, Átila Roque e Oscar Vilhena, e a mediação de Ricardo Henriques, a plenária de abertura do congresso discutiu “O Brasil que temos, o Brasil que queremos. Visões a partir da política, justiça e sociedade sobre a conjuntura atual”.

A democracia brasileira e a polarização política foram os principais pontos levantados na discussão. Reintegrando a importância do investimento privado para a quitaçãos das pendências que nossa sociedade ainda passa: como a violência ligada ao preconceito.

Conferência especial
Darren Walker, presidente da Fundação Ford, foi o grande nome da conferência especial, que aconteceu no primeiro dia do evento. Filantropia e desigualdade foi o tema em questão, baseada no último relatório divulgado pela Osfam, onde é apresentado que 62 pessoas detem riqueza equivalente a 3,6 bilhões de pessoas (metade da população mais pobre do planeta).  

Para Walker  estes problemas são decorrentes de uma cultura global em que preconceitos, política  de privilégios e sistemas econômicos continuam favorecendo ricos e tirando mais ainda de pobres.  

Walker foi o convido especial da conferência pois a Fundação Ford é uma instituição que acredita na justiça social e que combate problemas como as mudanças climáticas, insegurança e a desigualde para que ela seja atingida.


 

Publicado em 31/03/2016


 
 
 
 
 
Loading


Anuncie Edição do Mês
Anuncie
 
 
 
 
     
 
© 2017 Horizonte, educação e comunicação. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo